Sobre o caso Charlie Hebdo e o nada inocente Ocidente

O triste caso de Charlie Hebdo revirou a mídia esses últimos dias em manifestos sobre liberdade de expressão e Terrorismo. O foco é novamente os seres humanos horríveis que não compartilham dos ‘valores básicos do ocidente como tolerância religiosa e respeito aos direitos humanos’ , segundo um comentarista da Globo. Comentário repetido por toda parte, porque terroristas são seres sem alma, representantes da aludida Cristofobia e a ameaça que quer destruir a ‘perseguida’ e ‘inocente’ sociedade ocidental.
A hipocrisia do Ocidente me dá repulsa. Se querem uma resposta para os atentados talvez fosse melhor observar o que seus poderosos complexos militares, o imperialismo de alguns países e seus bancos fazem com o resto do mundo, e especialmente, ao Oriente Médio. Talvez fosse melhor pesquisar como vivem os civis de países como Afeganistão, com familiares mortos ou fugidos e vivendo ilegalmente em países como o Irã, por ações anti-terroristas. Talvez, ao invés de julgar o ocidente como uma vítima dos ataques, seja melhor observar quem atacou primeiro, quem matou mais pessoas nas guerras e feriu mais inocentes nos países de onde vem esses ‘fanáticos terroristas’. E isso não é justificar um ataque como foi feito ao jornal. Mas é parar de agir como se não fosse o ocidente que tivesse uma grande parcela de culpa pelo que acontece.
Afinal, o oriente é uma construção do ocidente que ele mantém pra ostentar os supostos valores de democracia e direitos humanos acima do resto da humanidade, a quem considera bárbaros terroristas. Edward Said discute isso. Na França muito antes dos ataques, meninas com véus eram humilhadas no caminho pra escola, casas de famílias muçulmanas pichadas com humilhações, em exemplos claros de Islamofobia. Mas claro, Islamofobia é conveniente pro ocidente. Muçulmanos são o bode expiatório que mantém inocentes sendo torturados em Guantánamo, que dá razões pra que a indústria de armas continue produzindo e países atacando ‘pra se defender’. Nós vamos ao cinema assistir filmes que retratam muçulmanos como vilões e seres maléficos. A civilização judaico-cristã está ameaçada, corram! mas é essa mesma civilização que oprime, e quando suas injustiças trazem uma resposta assim, então eles são os vilões que precisam ser torturados e mortos, que precisam ter suas mesquitas queimadas. Mas George W. Bush nunca foi preso por crimes de guerra, nem Tony Blair.
Não é desculpar as mortes de 12 pessoas. Mas é lembrar que mais de 30 morreram em ataques no Iêmen e a mídia não está falando disso. É relembrar as mortes no Iraque, no Afeganistão, na Palestina. E o silêncio sobre a Arábia Saudita e Israel, dois países que usam o terror como ferramente de poder do Estado sobre sua população. E especialmente, assumir que o ocidente não é a vítima, e nós não somos inocentes.

( em 09/01/2015 )

Anúncios